Homenagem a Julio Gioppo

Sr. Julio Gioppo, um homem forte, batalhador, honesto e acima de tudo é o meu avô, meu amigo que eu amo muito e sempre vou querer bem. Com sua força de vontade, honestidade e muito trabalho constituiu sua família em Caçador/SC com Sra. Olinda Ferlin Gioppo, minha querida avó. E desta linda união que já dura seus 59 anos, nasceu o primeiro membro da família: o meu pai Sr. Flávio Gioppo, que é meu amigo e companheiro e tenho certeza que estas qualidades ele herdou de seus pais.

Eu nunca me esqueço dos momentos que passei com o Sr. Julio, pois sempre gostei de escutar as suas histórias, sentados na mesa após o almoço ou jantar, tomando um vinho, uma graspa ou um cafezinho. O vô relembrando os tempos em que era jovem, tempos estes bastante diferentes de agora. Como é bom escutar principalmente as histórias do quartel, das caçadas, pescarias, dos acampamentos e as churrascadas no meio da semana onde a turma se reunia para contar os causos.

Como é bom recordar aqueles tempos em Caçador quando eu passava alguns dias em férias e que nós íamos pescar (a linha enroscava, arrebentava... O vô ficava furioso! Mas nem por isso guardava rancor, pois sabia que estava numa fase de aprendizagem e o respeitava), ou quando o vô caia com isca e tudo dentro do rio! Caçávamos juntos, e como era bom aquele tempo dos acampamentos no Agostinho ou mesmo em sua casa ajudando a cortar lenha para o fogão ou para fazer aquele churrasco delicioso, cortando a grama, virando a terra para plantar aquelas pipocas deliciosas, descascando na área as pêras para fazer doce no tacho onde éramos obrigados a usar camisa de manga longa para não nos queimarmos, mas mesmo assim nos divertíamos muito.

O vô também sempre foi, e ainda é, um grande professor. Muitas vezes ele nos ajuda a fazer coisas que consideramos difíceis ou até mesmo impossíveis. Uma frase que ele sempre dizia: "Nunca jogue nada fora, um dia você poderá precisar". E há de concordar é uma verdade!

Como já disse anteriormente, o Sr. Julio é um amigão e eu nunca vou me esquecer do que ele fez ou virá a fazer.

Infelizmente momentos como aqueles serão cada vez mais difíceis de acontecer em função do trabalho e o rumo que cada um segue para sua vida pessoal ou profissional. Mas uma coisa é certa: as recordações dos bons e velhos tempos estarão guardadas em minha memória e o Sr. Julio estará sempre no meu coração.

Que Deus ilumine sempre a sua vida e lhe dê muitas alegrias.

Um forte abraço!

Do seu amigo e neto, Marcelo Gioppo!


                                                                           1918-2008

 
© Copyright 2007 Gioppo.net - Todos os direitos reservados